Pronunciamento sobre atentado em Itumbiara

Sr. Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, é com imensa tristeza que subo à tribuna para tratar da tragédia ocorrida em Itumbiara no dia 28 de setembro, às vésperas das eleições municipais. Atentado, tragédia, pânico, desespero são palavras que não correspondem, não fazem justiça à graciosidade da cidade e à hospitalidade do povo de Itumbiara. Era um dia feliz de campanha eleitoral. Era uma carreata da vitória. As pessoas nas ruas estavam entusiasmadas. O clima era festivo. O Zé Gomes era profundamente querido e amado pela população, despontando claramente como primeiro colocado nas pesquisas eleitorais. Subitamente tudo ruiu. Tiros, correria, pânico, feridos, mortos…  Um homem, imbuído de uma missão suicida como um verdadeiro terrorista, atira em nossa direção, matando o meu querido amigo Zé Gomes e o bravo policial militar Cabo Vanilson João Pereira. O ataque feriu também o Vice-Governador e Secretário de Segurança Pública de Goiás, Sr. José Eliton, o advogado Célio Rezende e o motorista Edvan Guerino. A alegria da população se transformou em pranto. O dia ficou fúnebre. Itumbiara foi obrigada a se despedir do seu maior líder e do seu melhor Prefeito e eu, ainda pela metade, tive de dizer adeus ao meu irmão.

Zé Gomes era uma força motriz capaz de inspirar todos ao seu redor e de canalizar as paixões de cada um em prol de sua obsessão: o desenvolvimento de Itumbiara. Poderia conversar por horas a fio sobre seus planos para a cidade, sobre as grandes empresas instaladas na região, sobre as potencialidades do agronegócio. Como prefeito investiu maciçamente em saneamento básico e em transporte escolar, elevou o IDEB da cidade de 3.5 para 6.1, climatizou todas as salas de aula, construiu o maior colégio do Estado, edificou clínicas populares, investiu em mamógrafo, tomógrafo, UTI’s móveis, entre outras inúmeras realizações. Após o término de seu segundo mandato como Prefeito, 90,9% da população considerava seu governo como bom ou ótimo. Sua ambição era fazer muito mais pela população. Sonhava com uma faculdade de medicina em Itumbiara, queria construir a Perimetral Norte para interligar a cidade, desenvolveria programa habitacional para erguer mais de três mil casas populares e desejava, entre outros sonhos, levantar o melhor e mais completo hospital municipal do Brasil. Era o seu amor por Itumbiara que definia as dimensões de seus planos de governo.

Aos 58 anos, torcedor apaixonado pelo futebol do Itumbiara Esporte Clube, Zé Gomes guardava em seu peito o mesmo ardor pela cidade manifestado em sua primeira vitoriosa campanha eleitoral, em que conquistou o mandato de vereador com apenas 18 anos. Foi vereador de Itumbiara por duas legislaturas. Cumpriu quatro mandatos como deputado federal, tendo sido eleito em seguida deputado estadual. Venceu a eleição de 2004 para a Prefeitura de Itumbiara com mais de 65% dos votos válidos. Foi reeleito Prefeito com 84,4% dos votos. Sua aprovação popular foi tão grande que elegeu seu Vice Chico Balla para Prefeito, tendo obtido 59,32% dos votos. Mesmo após a sua morte, o seu legado político de dignidade, honestidade e competência resultou na vitória eleitoral do Deputado estadual José Antônio, nosso querido Prefeito recém-eleito e “filho político” de Zé Gomes.

Ninguém poderia imaginar que o mesmo Teatro Municipal Maria Pires Perillo, palco da convenção do PTB para o lançamento de sua festejada candidatura e de seu plano de governo no início de agosto, seria também o melancólico cenário de sua despedida. A população consternada compareceu ao velório e abraçou solidária a família e os amigos de Zé Gomes.

Espero que os competentes investigadores da Polícia Civil, da Polícia Militar e da Polícia Federal possam elucidar as reais motivações desse crime bárbaro, que não só feriu o processo político-eleitoral, mas marcou Itumbiara para sempre.

Agradeço a Deus por ter sido misericordioso comigo. A Providência Divina interveio por meio da bravura do Cabo da Polícia Militar Vanilson João Pereira e da ação rápida dos seguranças do Vice-Governador José Eliton. Quem poderá dizer quantas vidas foram poupadas pelo sacrifício de Vanilson? O Cabo, tão logo identificou a ameaça vinda em nossa direção, agiu imediatamente, como verdadeiro herói, para impedir o intento assassino. Alvejou o atirador, mas perdeu a própria a vida. Que o Senhor possa estar consolando seus familiares, amigos e entes queridos! Sua bravura não será esquecida, sua vida enobreceu a Polícia Militar de Goiás, seu gesto derradeiro salvou não só a minha vida, mas de inúmeras outras pessoas que cruzaram o caminho do atirador naquele fatídico dia.

Se é mesmo verdade que é possível aprender algo com a dor e com os males que nos sobrevêm, creio que devemos, como homens públicos, fomentar uma cultura de paz e incentivar a resolução pacífica dos conflitos. A política deveria ser o campo próprio da negociação, da arte da argumentação e não descambar para o ódio, para a intolerância e para a violência. Há notícias de que 28 políticos foram mortos nos últimos quatro meses. Nada menos que 17 Estados registraram episódios de violência contra candidatos durantes as eleições municipais. Apenas em setembro foram 8 políticos assassinados. As razões para tanta violência ainda não estão claras. Os especialistas apontam a presença da infiltração do crime organizado na disputa política, em especial a atuação das milícias no Rio de Janeiro, mas também sugerem que a deterioração da segurança pública e a própria crise econômica repercutem no processo eleitoral. Cerca de vinte e cinco mil militares foram convocados para atuar durante as eleições em 420 localidades de 15 Estados. Como deputado federal e vítima da violência, tenho de fazer uma pergunta constrangedora: O que acontece com a segurança da população após as eleições, quando o reforço dos militares partir? É preciso união, determinação, solidariedade e estratégia para enfrentar o desafio de combater a criminalidade e a violência em nosso País.

Quero desejar o melhor dos governos para o novo Prefeito de Itumbiara Zé Antônio. Examine atentamente o legado de Zé Gomes e realize sonhos e projetos ainda mais gloriosos para o povo de Itumbiara. A coligação vencedora foi escolhida pelo carisma, pela inspiração e pelas realizações de Zé Gomes. O nosso compromisso será honrar o seu legado e o seu amor pela cidade.

Aos filhos, à esposa, ao pai, à neta de Zé Gomes e a todos seus familiares, contem com o meu carinho e com a minha solidariedade. Eu e todo povo de Itumbiara, de Goiás, do Brasil lamentamos a morte de nosso amado amigo e inestimável líder. Aos familiares e amigos do Cabo Vanilson, a todos os valorosos irmãos soldados da Polícia Militar, expresso meu respeito e minhas condolências pelo sacrifício heroico desse homem que não temeu arriscar a própria vida para salvar muitos. Ao Vice-Governador José Eliton, ao Doutor Célio Rezende e ao Sr. Edvan Guerino, agradeço a Deus por ter preservado as suas vidas e estimo uma pronta recuperação.

Agradeço, especialmente, a consideração dos colegas deputados federais e de todos que se preocuparam com nossa segurança e que se solidarizaram com o povo de Itumbiara. Ao Zé Gomes, queria dizer que sinto imensamente a sua ausência. Que você possa, meu companheiro valoroso de muitas jornadas, descansar nos braços do Pai!

Antes de concluir, gostaria de me firmar na mensagem da Primeira Epístola de João, capítulo 4, versículo 18, que declara que “o perfeito amor lança fora todo medo”. Que a bravura do Cabo Vanilson e o amor incondicional de Zé Gomes por Itumbiara possam nos inspirar a superar os horrores desse crime bárbaro que nos feriu a todos!

Para encerrar, recordo um trecho do belíssimo poema “O valioso tempo dos maduros”, de Mário de Andrade, que o Zé Gomes tanto amava:

“Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa.

Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana;

que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade, quero caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.

O essencial faz a vida valer a pena.

E para mim, basta o essencial!”

Era o que tinha a dizer. Muito obrigado.

Deixar uma Resposta